share on facebook
15ª Bienal de São Paulo (1979)

A Bienal encerra a década de 1970 com uma retrospectiva dos últimos 28 anos. A “Bienal das Bienais” era um balanço de catorze edições e trouxe para o pavilhão trabalhos nacionais e internacionais premiados anteriormente, ao mesmo tempo que aboliria por completo as premiações de obras a partir da edição seguinte. Estiveram presentes as obras comentadas de Jasper Johns, Henry Moore e Edouard Pignon, entre outros. Com o aniversário de 25 anos do Parque Ibirapuera, a exposição prestou homenagem a Oscar Niemeyer com uma Sala Especial repleta de mobiliários e maquetes dos projetos do arquiteto carioca.

“Com uma audiência diminuta, acotovelando-se para aparecer em fotografia ao lado do governador Paulo Maluf, inaugurou-se no último dia 3 a 15ª Bienal Internacional de São Paulo, no Parque Ibirapuera (São Paulo). Esta Bienal, que em sua raiz cumpriu uma missão revolucionária, assume hoje uma cômoda feição retrospectiva, não decepcionando pela qualidade do que apresenta, mas eliminando qualquer possibilidade de aferição da natureza possivelmente germinativa da criação contemporânea.” – “Uma Bienal bem-comportada”, de Walmir Ayala, publicado n’O Dia em 14 out. 1979.

Leia o texto na íntegra no catálogo da exposição 30 × Bienal – Transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição.