share on facebook
Conheça a equipe que trabalha durante a mostra

Se você já visitou a 30 × bienal – Transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição, ou se você pretende visitar, inevitavelmente já cruzou, ou irá cruzar, com a equipe do Educativo Bienal, que anda pra cima e pra baixo durante o período da mostra.

O Educativo em períodos de exposição chega muitas vezes a triplicar sua equipe de colaboradores. Vermelho, verde, azul, amarelo essas são as cores das camisetas de identificação da equipe do Educativo na 30 × bienal. Mas, afinal, você sabe o que cada uma representa?

Camiseta amarela – orientadores de obras e receptivo

Você está na 30 × bienal e tem uma dúvida? Procure uma pessoa vestida de camiseta amarela que ela irá te ajudar. Essa é a equipe oficial de atendimento ao público. “Nós recebemos o público, fazemos o primeiro atendimento. Oferecemos visita orientada, organizamos os grupos e tiramos dúvidas”, diz o receptivo Uirá França.

Os orientadores de obras e receptivo estão preparados para tirar dúvidas tanto dos serviços da mostra (localização de banheiros, mapa da exposição, audioguias, horários de visitação, etc), como para auxiliar em informações sobre a obra (se pode tocar e/ou interagir).

Às segundas, quando a mostra está fechada, os orientadores e receptivos estudam os artistas e conceitos da mostra para interagir com o público. “Conversamos sobre as obras, os artistas, os conceitos que estão na mostra para nos prepararmos para atender os visitantes”, diz a orientadora de obra Gislaine Duarte. 
 
Camiseta vermelha – educadores

Os educadores formam a maior equipe interna do Educativo durante o período da mostra, ao todo na 30 × bienal  temos 78 educadores. A função deles? Fazer visitas orientadas diariamente para grupos agendados, e para público espontâneo aos finais de semana.

“O papel do educador é aproximar o público do trabalho de arte, do artista e do ‘ser humano artista’. A ideia é como podemos propor uma conversa, trabalhar com as expectativas, com as frustrações, e com o processo de criação de quem está visitando a mostra”, explica o educador Felipe Tenório.

Antes de receber o público, os educadores fazem o curso de formação em arte contemporânea para conhecer outros assuntos da mostra e se preparar para o atendimento. Se você tiver disponibilidade, não deixe de fazer uma visita com eles. Quem já fez garante que vale a pena, leia aqui

Camiseta verde – supervisores dos educadores e orientadores

Os supervisores cuidam de toda a parte formativa dos educadores e orientadores, tanto da pedagógica, como da profissional.

“Realizamos encontros e conversas sobre a arte e vida contemporânea, nos quais exista a possibilidade de transformação através do diálogo e da experiência prática. Acredito que o diálogo e a escuta seja fundamental entre os supervisores e seus orientadores”, destaca a supervisora dos orientadores Desire Gispert Macaya.

Os supervisores também coordenam os estudos para a formação continuada, preparam reuniões, acompanham visitas, fazem avaliações, organizam os atendimentos, as visitas, os horários, criam dinâmicas de fluxos no espaço expositivo e supervisionam os educadores e orientadores com os grupos, e com as obras, durante o período da exposição.

“Um dos maiores desafios do supervisor é lidar com a quantidade de grupos ao mesmo tempo dentro do espaço expositivo. Às vezes são 40 grupos e temos que estar atentos e preparados para mediar conflitos, e para que tudo flua da melhor forma possível”, diz o supervisor dos educadores Carlos Negrini.

Camiseta azul – equipe educativo permanente Bienal

Essa é a equipe permanente do Educativo, que trabalha não apenas na mostra, mas ao logo do ano. Quando não está em período de exposição, a equipe do Educativo trabalha com a itinerância da mostra passada, encontros de formação tanto da exposição passada, como da que está por vir, e com a preparação dos conteúdos da próxima edição, como o material educativo. A equipe do Educativo é divida em áreas são elas: produção, comunicação, relações externas, administrativo/financeiro, coordenação geral e curadoria.

Texto: Vivian Lobato
Fotos: Sattva Horaci e Sofia Colucci