share on facebook
30ª Bienal de São Paulo (2012)

A metáfora da constelação pautou a proposta curatorial do venezuelano Luis Pérez-Oramas para a trigésima edição da Bienal. Sob o motivo A iminência das poéticas, a mostra estabeleceu articulações discursivas e novas costuras entre passado e presente; centro e periferia; objeto e linguagem. Homenagens a Arthur Bispo do Rosário e Waldemar Cordeiro marcaram a edição, que privilegiou artistas latino-americanos como Alberto Cortina, Juan Luis Martínez e Sandra Vásquez de la Horra, entre outros. A eles, somaram-se jovens nomes brasileiros como Nino Cais, Sofia Borges, Eduardo Berliner e Odires Mlászho, além dos conhecidos Rodrigo Braga, Fernanda Gomes, Lucia Laguna e Alexandre da Cunha. Com um número menor de artistas, o curador buscou aprofundar-se na obra de cada um deles, permitindo ao espectador acompanhar a evolução, o diálogo e as contradições internas dos selecionados.

“Com um número adequado de artistas (com as salas atuando como um panorama de suas trajetórias) e uma expografia que conduz o espectador exemplarmente por essas zonas de sensibilização poética (abdicando em alguns momentos de paredes para que o diálogo entre as obras se torne mais evidente), a Bienal foge de uma espetacularização das obras e de conceitos um tanto confusos que vem ganhando terreno em certas instituições. Em tempos recentes parece-me que a cenografia chega a ter um status tão importante em algumas exposições que em determinados momentos a obra fica em segundo plano, ou ainda que a roleta é sinal de sucesso sem que haja uma preocupação com a qualidade de informação que o espectador recebe, assim como o lúdico e a interatividade parecem prerrogativas para a qualidade da exposição. Neste ponto acho perspicaz que a última obra da Bienal seja o imenso ‘espelho’ de Hans Eijkelboom, no qual finalmente o público vê a si próprio.” – “Instantes de reflexão”, de Felipe Scovino, publicado no Estadão Online em 04 abr. 2012.

Leia o texto na íntegra no catálogo da exposição 30 × Bienal – Transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição.